Eurico ataca Globo, ídolos e insinua que protestos no Vasco são comprados

Na bronca

0 52
Eurico acredita que protestos estão sendo feitos para desestabilizar o futebol (Foto: Uol)

O presidente do Vasco, Eurico Miranda, concedeu uma entrevista coletiva nesta segunda-feira em São Januário e deu seu posicionamento sobre as recentes confusões em jogos da equipe em casa. Na avaliação do dirigente, os protestos estão sendo orquestrados por grupos políticos de oposição. O mandatário também atacou diretamente a Globo e os ídolos do clube Edmundo e Juninho Pernambucano, que manifestam-se de maneira contrária ao gestor.

“O que justifica você ter o início de uma partida, quando aconteceu aquele apagão (contra o Avaí), e vir aquela manifestação do ´Fora, Eurico´? É evidente, qualquer pessoa que vê aquilo, vê que é uma coisa dirigida. E é dirigida no sentido de quê? No sentido de desestabilizar o futebol claramente. É um pretexto”, disse nervoso, insinuando posteriormente que pessoas estariam sendo compradas para protestar: “Antes do jogo começar? Pagar para pessoas entrarem na arquibancada?”.

Em relação à Globo, Eurico voltou com o seu discurso da “espanholização” do futebol brasileiro, com Corinthians e Flamengo recebendo uma cota de TV maior que as dos demais clubes.

“Tenho que me reportar a um processo antigo. Eu denunciei lá atrás que eles (Globo) foram os responsáveis em permitir que acontecesse também. Fizeram um processo de espanholização do futebol brasileiro quando fizeram uma distorção. E quem o fez? Globo. Distorceu de tal forma que um clube arrecada muito mais que outro. Escolheram dois: Corinthians e Flamengo. Deram um distanciamento em relação aos outros que, na verdade… É só fazer as contas. Esse distanciamento do que a TV paga de um para outro já seria difícil, ainda mais quando se encontra o clube numa situação mais difícil ainda”, lamentou.

Miranda também queixou-se das posturas de Edmundo e Juninho Pernambucano enquanto comentaristas da Fox Sports e da TV Globo, especificamente. Edmundo mais uma vez declarou apoio ao opositor Julio Brant, como já havia feito na eleição anterior.  Juninho não se envolve politicamente, mas é reconhecidamente contrário ao presidente.

“Critiquem o futebol, mas esqueçam isso de política. É difícil de conviver com um cara que é de política e ser comentarista. Ele tem pretensões politicas. Tem a Fox, com o Edmundo, e a Globo, com o Juninho. Falar de política? É política partidária! Todos eles tinham a obrigação de gostar de mim porque só dei a eles, mas não gostam porque sempre pensei de uma forma diferente no Vasco”.

Nos jogos contra Corinthians e Avaí, pelo Campeonato Brasileiro, brigas aconteceram em São Januário logo após manifestações contra Eurico Miranda. Diante dos paulistas, torcedores que estavam na social acusaram seguranças do clube de agressões.

Fonte uol Site Miséria