Robinho nega participação em caso de violência sexual

Resposta

O atacante Robinho, do Atlético Mineiro, emitiu uma nota de esclarecimento a respeito do caso de violência sexual, ocorrido em Milão, em 2013. O jogador se defende e diz não ter nenhuma participação no episódio. Ele foi condenado a nove anos de prisão na Itália.

Em suas redes sociais, o jogador do Galo emitiu uma nota de esclarecimento, negando seu envolvimento no caso de estupro. Confira abaixo:

“Sobre a notícia envolvendo o atacante Robinho, em um fato ocorrido há alguns anos, esclarecemos que ele já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio. Todas as providências legais já estão sendo tomadas acerca desta decisão em primeira instância.”

O caso aconteceu em Milão, em janeiro de 2013, mas a denúncia só foi feita no ano seguinte, quando o atleta já defendia o Santos. Na época, ele foi acusado de cometer “violência sexual em grupo” contra uma jovem albanesa de 22 anos, mas negou sua participação no crime.

Veja a nota emitida pelo atleta em 2014, na qual ele se defende das acusações:

“Diante das informações envolvendo o jogador de futebol Robson de Souza (Robinho), noticiadas irresponsavelmente hoje nos meios de comunicações da Itália, e replicadas no Brasil sem qualquer apuração quanto à sua veracidade, Robinho afirma que não tem qualquer participação no episódio mencionado. Todas as providências legais já estão sendo tomadas.

Robinho lamenta o episódio, que é levantado sem qualquer fundamento, justamente em um período que atravessa uma boa fase profissional, pessoal e familiar.

Robinho afirma que, apesar de revoltado, está muito bem amparado pela família e em Deus. Ele agradece a todos que torcem por ele, que conhecem sua índole, e, portanto, sabem que jamais cometeria tal ato.”

A condenação, emitida pela 9ª seção do Tribunal de Milão, condenou Robinho a nove anos de prisão por violência sexual em grupo. A decisão cabe recurso.

Fonte esportes.r7 Site Miséria
Carregando...