Primeira romaria de Nossa Senhora Aparecida é marcada com grande participação dos fiéis em Missão Velha

300 anos

Em outubro de 1717, três pescadores – João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia – ficaram encarregados de conseguir peixe para a festa que a Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá iria oferecer ao governante da capitania hereditária de São Paulo e Minas de Ouro, que estava de passagem pela região. O problema é que, naquela época, não era tempo de peixe naquele mês.

Após várias tentativas puxando a rede no Rio Paraíba do Sul, um pedaço do corpo de uma imagem de Nossa Senhora Conceição apareceu para os pescadores. Curiosos, eles lançaram a rede mais uma vez e pescaram a cabeça da imagem, que se encaixou perfeitamente ao corpo.

Eles colocaram a imagem da santa no barco. E depois disso, os peixes começaram a aparecer, em quantidade abundante, tão grande que quase fez o barco virar, segundo os relatos históricos da tradição católica.

Anos depois, já em 1732, o pescador Felipe Pedroso entregou a imagem a seu filho, que construiu o primeiro oratório aberto ao público. A partir daí, foi construída uma capela, uma igreja, uma basílica até que, em 1946, foi lançada a pedra fundamental para a construção do novo santuário, o quarto maior do mundo, iniciada em 1955.

Em Missão Velha, os devotos de nossa senhora Aparecida celebram este dia com uma caminhada saindo do centro da cidade ao sitio arraial do meio, onde há um templo construído em honra a nossa senhora Aparecida. A cada ano a participação dos devotos vem aumentando consideravelmente e este ano em especial ganhou o status de romaria por conta da grande quantidade de fiéis.

Entrevistamos a coordenadora da capela de Nossa Senhora aparecida e a vice-coordenadora, que nos falaram a respeito da organização da festa e também da romaria que aconteceu neste dia 12 de outubro marcando o encerramento da festa de Nossa Senhora aparecida.

Carregando...