Enfermeiros não devem ser proibidos de realizar procedimentos, dizem leitores

Qual sua opinião?

Estudantes se reuniram para manifestar contra decisão judicial (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)
Estudantes se reuniram para manifestar contra decisão judicial (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)

No dia 28 do mês passado, o Brasil, através de uma simples decisão judicial, retroagiu no mínimo 20 anos. O veredito proferido pelo juízo da vigésima vara federal de Brasília, mesmo tendo a natureza provisória, tem a capacidade de implodir toda a Política Nacional de Atenção Básica – PNAB -, instituída em nosso país.

Assim inicia uma nota publicada neste domingo, pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), O posicionamento é sobre uma decisão ainda provisória que impede enfermeiros prescrevam medicações, solicitem exames complementares e e encaminhem pacientes em casos graves.

O Site Miséria realizou enquete pra mapear o posicionamento dos leitores acerca da polêmica questão. Com participação massiva dos internautas, a maioria é contra a medida, em um resultado equilibrado. Foram 56,10% dos votos contrários à decisão. Outros 43.90% concordam com a liminar, e tendem a limitar a atuação dos profissionais de enfermagem.

JUAZEIRO DO NORTE

Pedindo por “justiça” e “respeito”, diversos profissionais de enfermagem organizaram uma manifestação na última sexta (13), em frente a Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte. Vestidos de preto, os enfermeiros e estudantes de enfermagem levaram cartazes e apitos e contaram com o apoio da secretária da pasta, Nizete Tavares.

“Foi um duro golpe que a população mais carente e usuária do SUS recebeu do Conselho Federal de Medicina – CFM. E um golpe muito maior foi o Judiciário ter embarcado nesta, pois, sem sequer ouvir a União, parte processada pelos representantes do CFM, decidiu acatar os argumentos do referido Conselho como válidos”, disse ainda a nota do Cofen.

Fonte Site Miséria
Texto Felipe Azevedo/Agência Miséria
Carregando...