Falta de reajuste na passagem poderá encerrar atividades da Viametro em Juazeiro do Norte

Tarifa inviável

O atraso no reajuste das tarifas do transporte público municipal em Juazeiro do Norte poderá inviabilizar a permanência da empresa Viametro no município. O contrato assinado em 2015 prevê adequação no valor da tarifa para mais ou para menos, e, desde março não é aplicado pela prefeitura, diz a empresa.

De acordo com um dos diretores da Viametro, André Eskinazi, um reajuste de 4,03% na tarifa municipal deveria ter sido posto em prática em março, medida que elevaria as passagens de R$ 2,20 para R$ 2,30. “Mas a a atual gestão não deu continuidade ao procedimento previsto em cláusula contratual”.

Em conversa com o Site Miséria, André destacou ainda que este procedimento é uma prática para garantir a viabilidade das operações da empresa em Juazeiro e que “se não houver segurança no contrato, não haverá motivos para continuar [operando no município]”. O cálculo do reajuste é feito levando em conta principalmente a variação do preço do óleo diesel.

Usando o mesmo tipo de cláusula contratual, o valor da tarifa do transporte intermunicipal foi reajustado em 1 de outubro sob o contrato que a empresa mantém com o estado. O novo valor praticado deste então é de R$ 2,25.

Em conversa com o Miséria, o Secretário de Finanças de Juazeiro do Norte, Evaldo Soares, disse que ainda na tarde desta segunda-feira (6), irá se reunir com representantes da empresa e da prefeitura para discutir o caso, “vamos chegar em uma solução para que não haja prejuízo para nenhuma das partes”, finalizou.

Dados da Viametro demonstram que a empresa atende cerca de 60 mil pessoas por dia nas linhas que integram Crato, Juazeiro, Barbalha e Missão Velha. São 326 funcionários diretos e uma frota de 72 ônibus com idade média de 3 anos.

Fonte Site Miséria
Texto Felipe Azevedo
Carregando...