Dono de um bar que já tinha sido preso com drogas foi morto a tiros em Crato

Homicídio no Cariri

“Lukinha” retornou recentemente ao Crato após uma temporada em Brasília (Foto: Reprodução/Redes sociais)

O comerciante Lucas França Alves, de 31 anos, o “Lukinha”, foi morto a tiros no final da tarde desta quinta-feira em frente ao bar de sua propriedade na Rua Diógenes Frazão perto da Encosta do Seminário em Crato. Ele ainda tentou fugir da linha de tiros, mas os seus algozes foram implacáveis o perseguindo e efetuando disparos na cabeça. A vítima morreu no local sem tempo para socorro médico. Após um tempo preso por conta do tráfico de drogas, foi embora para Brasília de onde retornou há dois meses
No dia 30 de maio de 2014 a polícia esteve em sua casa na Rua Gérson Zábulon (Bairro Ossean Araripe), que seria uma “boca de fumo” quando o prendeu junto com Espedito Sobreira Lopes, de 40 anos, o “Mazím”. No imóvel, os PMs encontraram 556 gramas de maconha, 350 de cocaína, 20 gramas de crack, uma munição calibre 38, sete pés de maconha, 12 celulares, uma moto Honda NXR150 Bros preta, um tablet, meio litro de loló, uma câmara digital, um telescópio, cinco relógios, cinco cordões de prata, três trituradores de maconha, R$ 735,00 em dinheiro e duas c&e acute;dulas de R$ 50,00 falsas.

Este foi o nono homicídio de outubro em Crato tornando o mês como o mais violento do ano e se igualando a novembro de 2014. Este ano já são 52 assassinatos em Crato ou quase 80% em relação aos 66 homicídios registrados no decorrer do ano passado. Os três últimos deste ano ocorreram na noite de sábado (21) tendo como vítimas Mariano Araújo da Hora Júnior, de 36 anos, no Distrito de Ponta da Serra; Marcos Aurélio de Souza, de 25, e Marcelo Serafim Pessoa, de 37 anos, no Seminário.

Fonte Site Miséria
Texto Demontier Tenório
Carregando...