Renan brilha, SP fica no 0 a 0 com Sport e soma 1º ponto fora no Brasileiro

Na Ilha do Retiro (PE)

Sport e São Paulo não saem do zero na Ilha do Retiro (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

O pesadelo do São Paulo como visitante teve uma breve interrupção nesta quarta-feira. Diante do Sport, na Ilha do Retiro, o Tricolor pela primeira vez pontuou e não sofreu gols fora de casa, mas teve de se contentar com empate em 0 a 0 na sétima rodada do Campeonato Brasileiro. O sistema com três zagueiros funcionou bem depois da jornada ruim contra o Corinthians e o goleiro Renan Ribeiro ainda estava atento para resolver quando os pernambucanos conseguiram avançar.

A primeira etapa foi marcada por muita intensidade e velocidade das equipes, apesar do excesso de erros técnicos. Os são-paulinos, por exemplo, sofreram com domínios equivocados de Wellington Nem, enquanto o Sport teve prejuízo com os passes ruins de Osvaldo e Thallyson. Na etapa final, mais equilibrada, foi a vez de Magrão aparecer em cabeçada de Gilberto.

Os donos da casa também tiveram um resultado negativo na jornada anterior: havia perdido do Vasco por 2 a 1. Agora são dez pontos do clube paulista, contra oito dos rubro-negros na tabela do campeonato. No domingo, no Morumbi, o São Paulo enfrenta o Atlético-MG pela próxima rodada do nacional, às 16h. Já o Sport recebe o Vitória, também no domingo, na Ilha do Retiro.

O melhor do jogo

Se o São Paulo conseguiu ter algo a comemorar como visitante neste Brasileirão, os méritos podem ficar com Renan Ribeiro. O goleiro foi essencial para segurar o empate em duelo interessante com o centroavante André. No primeiro tempo, após giro sobre Lucão, o artilheiro soltou pancada no alto e Renan teve reflexo para espalmar. Na etapa final, André tentou no jeito e foi parado por ótima saída para abafar do arqueiro tricolor.

O pior do jogo

Com moral depois de fazer um gol no clássico com o Corinthians, Wellington Nem teve a oportunidade de voltar ao time titular. Recuperado de artroscopia realizada em abril no joelho esquerdo, o atacante foi escalado para atuar ao lado de Lucas Pratto e Thomaz. Essa foi a primeira vez que ele começou a partida desde que sofreu a lesão, no dia 16 de abril, também, contra o Corinthians. A atuação, no entanto, foi muito ruim. Com espaço para atacar, o São Paulo viu suas principais jogadas morrerem graças a erros de domínio do atacante, que acabou substituído por Gilberto.

Difícil de montar um time

Rogério Ceni teve problemas para montar a equipe tricolor. No total, o treinador teve dez desfalques. Além dos selecionáveis Rodrigo Caio e Cueva, ele não pôde contar com Denis (tendinite no ombro esquerdo), Bruno (entorse no joelho esquerdo), Buffarini (estiramento no músculo posterior da coxa direita), Morato (cirurgia no ligamento cruzado do joelho direito), João Schmidt (entorse no joelho esquerdo), Thiago Mendes (entorse no joelho direito), Maicosuel (reforço muscular) e Araruna (aprimora forma física após lesão muscular).

Reclamação com a arbitragem

Tanto os jogadores do Sport quanto os do São Paulo não ficaram muito satisfeitos com o desempenho do árbitro  Heber Roberto Lopes. Os donos da casa reclamaram de três supostas penalidades. Um empurrão de Thomaz em Samuel Xavier e um choque de Thomás com Júnior Tavares foram corretamente ignorados, mas Heber Roberto Lopes errou ao não ver infração de Wesley em André já nos acréscimos. Já os tricolores questionaram três impedimentos – um de Wellington Nem, um de Thomaz e outro de Gilberto.

Volta da confiança

A defesa do São Paulo, com dois gols sofridos, era a melhor até o começo da sexta rodada, quando falhou demais e sofreu com críticas na derrota por 3 a 2 contra o Corinthians. Na Ilha do Retiro, porém, o que se viu foi uma atuação mais segura. O garoto Militão novamente mostrou boa leitura de jogo para variar o esquema do 3-4-3 para o 4-3-3 e Jucilei manteve o ritmo na proteção à defesa com desarmes precisos.

Equilíbrio e chance de Gilberto

Para o segundo tempo, Vanderlei Luxemburgo tentou sufocar o time de Rogério Ceni, mas não teve sucesso e ainda viu os visitantes levarem mais perigo nos minutos finais, já com Pratto e Gilberto como referências na área. A dupla de área funcionou e, por pouco, Gilberto não fez o seu no finalzinho do jogo. O atacante arriscou de cabeça e Magrão fez a defesa.

FICHA TÉCNICA

SPORT X SÃO PAULO

Local: Ilha do Retiro, no Recife (PE)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock e Helton Nunes (ambos de SC)
Cartões amarelos: Cícero (São Paulo)
Público e renda: 11.904 e R$ 278.755,00

SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Durval, Ronaldo Alves e Sander; Rithely, Patrick e Thallyson (Everton Felipe); Thomás, André e Osvaldo. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Militão, Maicon e Lucão; Marcinho, Jucilei, Cícero e Júnior Tavares; Wellington Nem, Thomaz (Wesley) e Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

 

Fonte UOL Site Miséria
Carregando...