Sem “melhores momentos”, Inter tropeça em casa e deixa clima tenso

Série B

0 27
Internacional tropeça em casa e fica no 0 a 0 com o Paraná (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

Foi feio, e muito. Nesta terça-feira (20), o estádio Beira-Rio, que com o time colorado em campo já recebeu duas finais de Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil, viu, sem dúvida, um dos piores jogos de sua história. De tão fraco no primeiro tempo, Inter e Paraná não teve nem apresentação de ´melhores momentos´ na transmissão de televisão. O placar não poderia ser outro que não 0 a 0, ampliando a tensão no ambiente do Inter.

Contratado há 20 dias, o técnico já leva pressão no clube. A série de três jogos sem vitória e o rendimento aquém do esperado só pioram a situação colorada. A classificação põe o Inter fora da linha de retorno à Série A. São 14 pontos conquistados na competição. O Paraná chegou a 13.

Não é para menos. O Inter só foi criar uma chance de gol aos 20 minutos do segundo tempo. E não conseguiu concluir uma vez sequer. Até tomou, mas o gol paranista foi anulado. Vaias ecoaram pela casa vermelha ao fim do primeiro tempo e foram amplificadas no apito derradeiro.

O próximo compromisso do Colorado será contra o Brasil de Pelotas, sábado, no Bento Freitas. Já o Paraná pega o Criciúma, sexta-feira, no Heriberto Hulse. O planejamento do Inter era somar ao menos 10 pontos na série de quatro partidas no Rio Grande do Sul. Faltando três jogos, tem como fazer mais 9.

Nico joga pouco e se lesiona

Nico López pouco apareceu no ataque do Inter. Desabastecido, não deu um chute sequer em direção ao gol adversário. Foi substituído no intervalo do jogo lesionado sem sequer ter aparecido no jogo.

Criticado publicamente pelo técnico, Brenner volta

Brenner foi criticado publicamente pelo técnico Guto Ferreira na última semana. Segundo o comandante, o centroavante precisava ´competir mais´. E sem nenhuma chance de mostrar evolução, virou solução ao entrar no segundo tempo no lugar de Nico López.

D´Alessandro longe da zona de ação trava o Inter

A escalação do Inter causou surpresa. Guto Ferreira abriu mão do sistema 4-2-3-1, colocou D´Alessandro aberto pela direita num 4-1-4-1 com Sasha do lado oposto, Uendel e Fabinho centralizados. O problema é que o argentino longe da zona de ação ofensiva, distante de onde possa criar passes de gol ou mesmo concluir travou a possibilidade gaúcha de ter oportunidades de gol. Reflexo disso foi a dificuldade inicial em ter conclusões em gol.

Conduta padrão: Paraná satisfeito com empate

A cada lance do jogo, o Paraná parecia mais contente. Levando um ponto da partida no Beira-Rio, o time visitante tratou de atuar ´no erro´ do Internacional. E neste expediente se comportou bem. Defendeu sempre com a maior parte de seus atletas atrás da linha da bola. Com ela, saiu rapidamente em busca da conclusão. Não esteve muito perto de marcar no primeiro tempo, é verdade, mas controlou em alguns momentos o jogo.

Jogo tão fraco que não teve ´melhores momentos´ na TV

O jogo entre Inter e Paraná teve um primeiro tempo tão fraco, mas tão fraco, que nem mesmo os tradicionais ´melhores momentos´ foram reprisados no intervalo dos jogos aconteceram. Em vez da série de lances que relembraria o que de melhor houve nos 45 minutos iniciais, apenas um momento em que o lateral Cristóvão driblou Sasha e Carlinhos em série.

Frio, muito frio…

Não era fácil jogar no Beira-Rio. Com temperatura de 5 graus em Porto Alegre e sensação térmica reduzida pela proximidade com o Guaíba (Lago cujo Beira-Rio fica às margens) não tornou o ambiente nada convidativo. Por isso, público reduzido e dificuldade evidente em movimentação. Até dentro de campo.
Paraná marca, mas juiz anula

Aos 29 minutos do segundo tempo, uma jogada na área do Inter teve desfecho polêmico. Robson tentou simular um pênalti. Mas na sequência do lance, sua equipe marcou o gol. O árbitro do jogo parou a partida e deu posse de bola para o Inter e amarelo ao jogador que simulou.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0 X 0 PARANÁ

Data: 20/09/20137 (Terça-feira)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence e Édson Antonio de Souza
Renda: R$ 191.930,00
Público: 12.137 (total)
Cartões amarelos:  Klaus (INT), Uendel (INT), D´Alessandro (INT), Carlinhos (INT), Rodrigo Dourado (INT); Cristóvão (PAR), Felipe Alves (PAR), Robson (PAR);

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; Ceará (Valdemir), Danilo Silva, Klaus e Carlinhos; Rodrigo Dourado, Fabinho,Uendel,  Eduardo Sasha (Cirino) e D´Alessandro; Nico López (Brenner).
Técnico: Guto Ferreira

PARANÁ
Richard; Cristóvão, Rayan, Eduardo Brock e Igor; Leandro Vilela, Gabriel Dias e Renatinho (Luiz Otávio), Róbson; Felipe Alves(Rafael Lucas) e Minho (Johny).
Técnico: Cristian de Souza

Fonte UOL Site Miséria
você pode gostar também